No Cenáculo, onde tudo começou.

Ao cair da tarde de domingo, os discípulos de Jesus estavam trancados em casa, com medo dos judeus. Eles já tinham ouvido o testemunho de Maria Madalena que Jesus ressuscitara, mas permaneciam reféns do medo e da descrença. Foi quando Jesus apareceu no meio deles e disse-lhes: “Paz seja convosco!”. Os discípulos se alegraram ao verem o Senhor. Jesus, então, torna a lhes falar: “Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20.19-22).

Jesus poderia ter falado muitas outras coisas, ou mesmo repreendido os discípulos; mas não! Ele simplesmente lhes concede a comunhão da Sua paz. Logo após, “soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Jo 20.22). Ali, quando os discípulos receberam o Espírito Santo, nasceram de novo, e então Jesus garantia o efetivo início da Sua Igreja, que Ele mesmo dissera que edificaria sobre a Rocha (Mt 16.18).

Os discípulos foram então enviados por Jesus para levarem a Sua mensagem de Salvação ao mundo, mas Ele lhes disse que, antes disso, esperassem a “promessa do Pai” (Lc 24.49). Eles sabiam que jamais poderiam prescindir do poder do Espírito Santo para cumprir tão grande missão. 

No Dia de Pentecostes, a Igreja estava reunida em um Cenáculo, esperando pelo cumprimento da “promessa do Pai”, de receberem o poder do Espírito Santo a fim de cumprirem o IDE e PREGAI comissionado por Jesus (Mc 16.15). E então, no Cenáculo (que era um lugar especial para refeições ou hospedagem da casa), estando os discípulos reunidos em oração, tudo começou a acontecer:

“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem” (At 2.1-4).

Naquele dia, quando a Igreja de Jesus foi apresentada ao mundo, cerca de três mil pessoas foram salvas e receberam a paz do Senhor. Pedro pregou que eles deveriam se arrepender de seus pecados e serem batizados, para receberem o dom do Espírito Santo. E acrescentou: “Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar” (At 2.39).

Dois milênios depois, no Brasil, nós ainda éramos contados entre “todos os que ainda estão longe”, até que dois jovens suecos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, nos idos de 1910, revestidos do poder do Espírito Santo, chegaram a Belém do Pará. Eles não tinham suporte financeiro, nem amigos, não sabiam falar a nossa língua, mas traziam consigo o poder pentecostal. Foi o bastante.

Logo se agregaram a eles alguns poucos irmãos e irmãs, os quais também foram revestidos do poder de Deus. Esse fogo divino os impulsionou a levarem a mensagem do Evangelho do Reino para a salvação de muitas outras vidas. Foi assim que, em 18 de junho de 1911, foi fundada a Assembléia de Deus em Belém, a Igreja-mãe das Assembléias de Deus no Pará e no Brasil. Pela graça de Deus, ainda hoje, é o maior movimento pentecostal do mundo.

Agora, no dia de Pentecostes de 2023, em Belém do Pará, iniciamos uma nova etapa da nossa jornada e, avançando pela fé, inauguramos no último domingo, às 11h00, o nosso Cenáculo de Oração. Foi em Jerusalém, no Cenáculo, onde a Igreja de Jesus recebeu o batismo do Espírito Santo e foi apresentada ao mundo com autoridade e poder. Este nosso Cenáculo representa nossa fome e sede de uma maior operação do Espírito Santo em nós e através de nós; mais poder de Deus para testemunharmos do amor de Deus em Cristo Jesus, e assim, levarmos muito mais pessoas a receberem a salvação e a vida eterna.

Desejamos ardentemente que a chama do Pentecostes continue acesa e aumentando em nossa vida e na vida da Igreja, e que vivamos

sempre conforme o que está escrito na Bíblia: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” (At 1.8).

A partir de agora, a Tocha Pentecostal ficará acesa o tempo todo em nosso Cenáculo de Oração, que ficará aberto 24horas por dia, para clamor de oração por Poder de Deus em nossas vidas e grande colheita de salvação. Será um reforço à vida diária de oração da Igreja (pessoal, familiar, nos cultos, nas vigílias, nos Círculos de Oração, na semana da oração, nos plantões de oração dos templos nos bairros), de modo que nada para; e o Cenáculo receberá a todos que desejam participar em oração por este esforço missionário pentecostal. 

E assim, avançando pela fé, estaremos firmes e revestidos do poder de Deus, cumprindo fielmente a nossa missão, até Jesus voltar!

Deixe um Comentário