Consagre-se totalmente a Deus


Consagre-se totalmente a Deus

Há muitos anos, ouvi contar uma linda história sobre três pequenas árvores que havia no alto de uma montanha, as quais sonhavam e conversavam sobre o que gostariam de ser quando crescessem. A primeira, olhando as estrelas, disse: “Eu queria ser o baú mais precioso do mundo, cheio de muitos tesouros. E até me disporia a ser cortada para alcançar essa graça”. A segunda, olhando para o riacho corrente abaixo, suspirou: “Eu quero crescer e ficar bem alta e me transformar em um grande e luxuoso navio que possa transportar reis e rainhas”. A terceira, fitando o longo vale, disse: “Eu quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas, ao olharem para mim, levantem seus olhos e pensem em Deus”.
Muitos anos se passaram até que, certo dia, vieram três lenhadores e cortaram as três árvores, todas ansiosas em se transformarem naquilo que sonharam. Que pena! A primeira árvore acabou sendo transformada em uma manjedoura, sempre coberta de ração para os animais. A segunda virou um simples e tosco barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias. A terceira, mesmo sonhando em ficar no alto da montanha, acabou sendo cortada em grossas vigas, que foram colocadas de lado em um depósito malcheiroso. Enfim, as três árvores se perguntaram desiludidas e tristes: “Por que isto aconteceu conosco?”
Assim como essas árvores, muitos perguntam “por quê?”, querendo sinceramente saber a razão das coisas; e talvez poucas se importem realmente em saber o “para que” das ocorrências de sua vida, sejam elas aparentes tragédias ou desconcertantes situações.
A história das árvores não parou naquele ponto de tragédia, como se poderia supor. Pois, certa noite, cheia de luz e estrelas, quando parecia haver melodias no ar, uma mulher chamada Maria colocou naquela manjedoura de animais, enrolado em panos, o seu filho recém-nascido. De repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro de todos, o Salvador do mundo.
A segunda árvore, anos depois, veio a transportar um Homem e seus discípulos. Em certo ponto de uma viagem, Ele acabou dormindo no barco, quando então se levantou um grande vendaval. Diante do pavor dos discípulos, Ele se levantou e disse ao mar revolto: “Sossegai!” E num relance, a segunda árvore entendeu que estava carregando o Rei dos céus e da terra.
Tempos mais tarde, durante a festa da Páscoa, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas em forma de cruz e um Homem santo foi pregado nela, pois fora condenado à morte, mesmo nada havendo que desabonasse sua conduta impecável. Esta árvore sentiu-se horrível e cruel em sua tarefa nefasta. Mas, no domingo, o mundo vibrou de alegria, quando este mesmo Homem ressurgiu de entre os mortos, e a terceira árvore entendeu que pregaram o Cordeiro de Deus para a salvação de toda a humanidade. E assim, lembrou-se do seu sonho, que ao olharem para ela, sempre se lembrariam de Deus e de Sua misericórdia em Jesus Cristo.
O moral da história das árvores é que, embora elas tivessem sonhos legítimos, as suas realizações foram muito melhores e mais sábias do que haviam imaginado. Portanto, a tragédia não seria jamais a última palavra a considerar em suas vidas. Agora elas sabiam que, em Deus, e somente por causa Dele, podiam ver seus sonhos cumpridos da melhor e mais sábia maneira. Entenderam, pois, que seguir em frente, a despeito de tudo, as favoreceu a serem úteis em servir aos propósitos do Senhor Deus.
Assim também, todos nós temos nossos sonhos e planos. Por vezes, estes não coincidem com os planos que Deus para nós. E quase sempre somos surpreendidos com a generosidade e misericórdia do Senhor em meio às nossas tragédias pessoais.
Por isso, é importante compreendermos que tudo o que vem de Deus é bom. Devemos crer que podemos esperar Nele, pois Ele, como um Pai Amoroso, sabe o que é melhor para cada um de nós. Tudo porque Ele realmente nos ama e realmente se importa conosco, se interessa por nós e pelo nosso sucesso, se sofremos ou somos felizes, se ganhamos ou perdemos, se vivemos ou morremos.
A maior prova de que Deus nos ama e realmente se importa conosco foi nos ter nos dado graciosamente o Seu Filho Jesus, e com Ele, todas as demais coisas concernentes à nossa salvação (Jo 3.16).
Deus se importa com você! E você, confia em Deus, a ponto de sentir-se em paz para se consagrar totalmente a Ele?

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém
E-mail: samuelcamara@boasnovas.tv

Deixe um comentário