A influência de Jesus na História (Parte II)

A superioridade da obra que Jesus Cristo realizou, em três anos e meio de intenso ministério, é que determina a Sua influência na História. O resultado de Seus ensinamentos justifica sua idoneidade como Mestre de estirpe incomparável e única, o melhor de todos.

No artigo anterior, listamos os primeiros quatro resultados obtidos por Jesus: transformação de vidas; valorização da pessoa humana; incentivo para reformas; inspiração para servir. A seguir, abordaremos os últimos quatro resultados de Sua obra e ensinamento:

MELHORIA DAS INSTITUIÇÕES. Jesus ensinou valores (principalmente a sacralidade da vida, o valor das pessoas, a indissolubilidade do casamento, as boas relações familiares, o respeito entre pais e filhos etc.) que ajudaram a melhorar as instituições públicas. Antes de Jesus, o Estado era visto como um fim em si mesmo, com autoridade absoluta sobre seus cidadãos. Jesus ensinou que nenhuma instituição estava acima do homem, mas a serviço deste. Ele denunciou a regulamentação excessiva dos fariseus, cuja prática era penosa e difícil.

A democracia foi uma reação humana contra o despotismo dos reis e tiranos. Embora não seja uma criação cristã, deve o seu progresso aos ensinos de Cristo sobre igualdade e respeito. Muitos dos benefícios de que gozam os trabalhadores em muitos lugares do mundo, como a participação na administração e nos lucros das empresas, são em grande parte resultado dos ideais pregados pelo Mestre, hoje aplicados aos negócios.

INSPIRAÇÃO DA FILANTROPIA. Ao longo da História, Jesus tem inspirado muitos ricos capitalistas a distribuir os seus bens a fim de socorrer aos necessitados e pobres da terra. Hospitais, orfanatos e asilos, colégios e universidades, brotaram do espírito filantrópico gerado pelos ensinos do Mestre. E mesmo aqueles criados e mantidos pelo Estado provieram indiretamente do espírito cristão.

INCREMENTO DA LITERATURA. É notável que a literatura mundial não é a mesma depois de Jesus. Incontáveis livros foram escritos sobre a vida de Cristo. João disse que se fossem contadas todas as coisas que Jesus fez e ensinou, nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos (Jo 21.25). Muitas línguas ganharam sua própria gramática, tão somente porque discípulos de Jesus levaram a Bíblia a povos esquecidos.

A despeito de não ter deixado nada escrito, Jesus é mais citado que qualquer escritor que já viveu. Grande parte da produção literária dos maiores escritores está saturada das ideias e ideais de Jesus. Os ensinos do Mestre influenciaram escritores de teologia, ética, história geral, educação, psicologia, e de muitos outros campos do conhecimento.

INFLUÊNCIA NAS ARTES. Jesus deixou nas artes também uma impressão indelével e universal. Na música, muitos compositores mundialmente conhecidos levaram a vida toda escrevendo hinos sobre Cristo. Os belíssimos oratórios de Bach, Haydn e Haendel foram escritos para louvar a Jesus. Semelhantemente, as obras-primas dos maiores pintores foram inspiradas pela vida de Jesus.

A influência de Jesus na arquitetura, mesmo que indireta, não é menos notável, especialmente a que se relaciona à escultura exterior e interior das grandes catedrais.

Em suma, Jesus desejava não apenas obter uma resposta definida e pessoal para Seus ensinos, e nem só resolver por meio deles problemas específicos da vida. Ele olhava ainda mais adiante, conferindo a Seus seguidores aquelas graças que gerariam neles um carácter forte e íntegro diante de uma geração relativista e permissiva, sobre a qual permearia sua benéfica influência como sal da terra e luz do mundo.

Jesus forjou em Seus seguidores virtudes positivas, que ajudaram a transformar pessoas, culturas e suas histórias. Amém!

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém 

Deixe um comentário