A influência de Jesus na História (Parte I)

A influência de Jesus Cristo na História pode e deve ser medida pelos resultados de Seus ensinamentos. Sabemos que os resultados de uma obra demonstram sua superioridade ou fraqueza. Os resultados da obra de Jesus, portanto, não só mostram sua superioridade como Mestre, como também justificam a ênfase que Ele deu ao ensino. Ele foi, na verdade, o Mestre incomparável e, como tal, o único de sua estirpe.

        Vejamos alguns dos resultados obtidos por Jesus.

TRANSFORMAÇÃO DE VIDAS. Jesus veio, com Ele próprio afirma, para pôr em liberdade os cativos. A redenção trouxe a regeneração, que era o próprio cerne de Sua tarefa salvífica. Os grilhões do pecado estavam quebrados e a alma humana podia ser liberta.

Essa foi a Sua tarefa primordial, que começa com os discípulos, cuja transformação foi o vetor de transformação para muitas outras vidas. Através dos séculos é claramente notada essa influência, a corrente viva e contínua de discípulos transformados, os quais continuaram a mudar e a moldar os destinos do mundo.

        JESUS VALORIZOU E ELEVOU A PESSOA HUMANA. Antes de Jesus, não poucos grupos humanos de nada valiam, não passavam de peças na engrenagem social de dominação dos poderosos. Não tinham direitos, não eram respeitados. Nos dias de Jesus, os grupos dominantes – os escribas, fariseus e saduceus – tratavam com desprezo os publicanos e demais pecadores. Eles se consideravam tão justos que sequer podiam suportar a presença daqueles.

         Os ensinos de Jesus unificaram os contrários, libertaram os oprimidos, e também colocaram a mulher no mesmo nível do homem em termos de respeito e aceitação, levando o apóstolo Paulo a escrever: “Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gl 3.28).

        Jesus levou o mundo a ver que Deus não faz acepção de pessoas, que as pessoas de todas as raças, homens e mulheres, não importando posição social ou cor da pele, são preciosas aos olhos do Criador.

INCENTIVO PARA REFORMAS. Embora Jesus não fosse propriamente um “reformador social”, fica claro que Seus ensinos e atitudes produziram as maiores reformas sociais da História. Sua obra inspirou e desencadeou os maiores movimentos reformadores: a emancipação da mulher, o reconhecimento dos direitos da criança, a ênfase no valor da pessoa humana.

A escravatura só foi abolida depois que homens imbuídos dos mais elevados valores cristãos se debruçaram sobre esta humilhante situação e lutaram pelo seu fim. O cristão William Wilbeforce lutou no Parlamento britânico durante vinte e seis anos pela abolição da escravatura no Reino Unido.

INSPIRAÇÃO PARA SERVIR. A inspiração para servir veio daquele que se tornou Servo de todos: Jesus Cristo. De Seus ensinamentos vêm a inspiração para servir, essa força espiritual que leva o indivíduo a se esquecer de si, das comodidades e confortos, para dedicar seu tempo, talentos e energia para ajudar aos necessitados.

Muitos têm abandonado a comodidade e o luxo da civilização, para arriscarem sua saúde e a própria vida na nobilíssima tarefa de levar a mensagem de Jesus às regiões mais distantes da terra, para a salvação daqueles que vivem em densas trevas espirituais. Sob a influência dos ensinos de Jesus, tribos selvagens receberam nova inspiração e vida, canibais foram civilizados, caçadores de cabeça se converteram, fundaram-se escolas e hospitais, e o caráter e a cultura de indivíduos e povos foram mudados de modo radical.

Desse modo, Jesus não somente influenciou todas as culturas que entraram em contato com Seus ensinos, Ele mudou a História da humanidade. Ele buscou criar e desenvolver virtudes positivas, tais como amor, honestidade, humildade, pureza, altruísmo, bondade, sacrifício, coisas que enobrecem o caráter, firmam a conduta e geram alegria no viver. São essas as virtudes que têm o condão de transformar pessoas, culturas e suas histórias. (Continua no próximo sábado.)

Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém

Deixe um comentário